Governo assina contrato para a construção de segundo barco de passageiros

Seg. 03 de junho de 2019, 08:56h
IMG_4548-p

A política do VIII Governo Constitucional tem como objetivo contribuir para um país mais avançado com o desenvolvimento dos vários setores sócio-económicos, nomeadamente o setor dos transportes e comunicações.

Neste sentido e no âmbito do projeto de desenvolvimento ligação de Transporte Marítimo na Costa Norte, foi hoje, 31 de março de 2019, assinado o contrato de construção naval entre o estado de Timor-Leste e a empresa armadora holandesa Damen Shipyards.

O grupo Damen Shipyards, que possui mais de 35 empresas e estaleiros em vários países, foi escolhido através de um processo internacional e processo de aprovisionamento contou com a participação, além dos órgãos governamentais, nomeadamente da APORTIL, de um especialista internacional de engenharia naval, Moeller GmbH e restante equipa da consultora IMS-Nord.

O contrato foi assinado, no salão Kay Rala Xanana Gusmão, do Ministério das Finanças, Aitarak Laran Díli, pelo Ministro dos Transportes e Comunicações, José Agustinho da Silva e pelo diretor comercial regional da Damen Shipyards, Gysbert Boersma, na presença do Ministro Estado da Presidência do Conselho de Ministros, Agio Pereira e do representante do Governo Alemão, Philip Akimenko.

O contrato englobe o design, a construção, envio e entrega de um ferry de passageiros do tipo Ro-Ro destinado a cumprir as necessidades do país, no transporte de pessoas, veículos e bens na costa norte da ilha. Este projeto cofinanciado entre Timor-Leste e o Governo da Alemanha, que contribui com 8,7 milhões de dólares americanos e o Governo de Timor-Leste contribui com 7,9 milhões de dólares americanos.

O design e a gestão do projeto de construção serão efetuadas pelos escritórios centrais da DAMEN na Holanda e a construção do ferry no estaleiro da DAMEN em Yichang, na República Popular da China. O  novo barco de passageiros terá uma largura de 16 metros, um calado de 3,3 metros e um comprimento de 67,3 metros, um convés de uma altura de 4,8 metros e atingirá a velocidade máxima de 10 a 12 nós e terá uma capacidade de transporte mais de 380 pessoas. O novo barco irá substituir o Nakroma, atualmente a fazer a ligação entre Díli, o enclave de Oecusse e a ilha de Ataúro, e que necessita de reparações.

A ampliação das ligações marítimas de passageiros será estendida inicialmente com a ligação Díli-Com, além das já existentes entre Díli, Ataúro e Oecusse, com objetivo de melhorar a qualidade de vida das populações beneficiadas e será igualmente um forte fator de desenvolvimento da indústria do turismo, com especial enfoque na região nordeste da ilha. Está que previsto que o novo barco comece a operar em 2021 e até lá serão feitos os trabalhos de melhoria e construção das infraestruturas de apoio.

Na sua intervenção, o Ministro dos Transportes e Comunicações, afirmou que “o transporte marítimo é a chave para o plano de desenvolvimento estratégico 2030” e que o “VIII Governo Constitucional estabelece como plano prioritário a reabilitação dos portos regionais, de forma a abrir novas conexões marítimas entre a costa norte e a costa sul de Timor-Leste.

 José Agustinho da Silva referiu ainda que “o novo ferry irá ajudar na ligação entre Díli e as outras regiões e melhorar o acesso ao mercado, à educação e às instituições em Díli”. E explicou que, ao abrigo deste projeto, “em 2016, já foram formados 20 timorenses, com o apoio do Governo Alemão, na Malásia e na Indonésia.

Constantino Soares, Presidente da Autoridade Portuária de Timor-Leste I.P (Aportil), na sua intervenção salientou que, o novo ferry irá fortalecer os serviços de transporte na costa norte do país, para Díli-Oecusse e a ilha de Ataúro e desenvolver novas rotas na costa norte e sul do país”.

O Diretor comercial regional da Damen, afirmou que “este projeto poderá ser o início de uma cooperação bilateral muito mais ampla entre a empresa holandesa e o Governo Timor-Leste, podendo englobar outras áreas como o petróleo, o gás natural e as pescas.

Na cerimónia estiveram presentes vários membros do Governo, ex-titulares, vários deputados e responsáveis de várias instituições públicas timorenses, parceiros de desenvolvimento e corpo diplomático.

   Topo